Costumes hebraicos no Antigo Testamento

"O LAR"  Tradicionalmente os judeus dizem que judaísmo no lar é muito mais importante do que o da sinagoga. Afirmam também que se todas as sinagogas fossem fechadas, a vida religiosa do judaísmo continuaria porque o centro da sua religião não é a sinagoga mas o lar. Consideremos, então, alguns Costumes Hebraicos, que tem sua maior relação com o lar judaico.

"CASAMENTO"

  1. A Lei civil do país deve ser observada em primeiro lugar.
  2. A cerimônia tradicional depois.

A presença de um Minyon (grupo de 10 judeus) é o mister. Isto é a maneira de enfatizar que o casamento não é importante só para a vida do casal mas também é considerado importante para a comunidade. Antigamente a comunidade ajudava generosamente para as coisas materiais para os noivos.

Na época é licito escolher para si mesmo sua noiva ou noivo mas antigamente não era assim. Cabia aos pais escolherem. Lembrem-se os exemplos Bíblicos como no caso de Abrão, Isaque etc… (Gen. 24 e Gen. 28).

Os símbolos tradicionais ligados com o casamento são:

a. A Chupah: (em português chama-se pelos vários nomes tais como: pálio, dessel, baldaquino e pavilhão). Não sei qual entre eles é o mais comum mas vou chamar de chupah como a pavilhão. Os noivos ficam em pé sob o chupah durante a cerimônia. Esse pavilhão é feito de material muito fino de alta qualidade. Simboliza real porque os noivos são considerados como rei e rainha no dia do seu casamento.

b. O Anel: Pode ser de ouro ou de prata mas deve ser muito simples. Simples para minimizar a diferença entre noivos pobres e noivos ricos. Tipicamente também a tradição judaica de igualdade. Na minha experiência já vi muitas senhoras judaicas usando os seus anéis mas também usando ao mesmo tempo anéis com muita jóias ou pedras caríssimas. Aparentemente, as judias não agüentavam ficar só com um anel simples. O anel simboliza a perfeição eterna. (Seja santificada a mim pela lei de Moisés e Israel).

c. O Documento do Casamento:

Depois de colocar o anel é lido esse documento de casamento que se chama o Ketubah. É o contrato das obrigações mutuais entre o casal.

d. O copo de vinho:

Os noivos bebam do mesmo copo no princípio da cerimonia e mais uma vez no fim. Antigamente usavam dois copos. O primeiro para simbolizar a vida de alegria, e o segundo significava a vida de sacrifícios. Bebendo juntos significava o destino comum do casal.

e. Quebra do copo:

A cerimonia está concluída quebrando o copo. O noivo quebra o copo pisando nele. Simboliza várias coisas:

  1. Faz lhes lembrar a destruição do templo.
  2. Faz lhes lembrar que a vida é frágil e transitória.
  3. Foi também para assustar os espíritos malignos, expulsando-os porque demônios tem ciúmes de qualquer alegria humana.

f. A benção sacerdotal: Essa benção profunda se encontra em Números 6:24-27.

"O SENHOR TE ABENÇOE E TE GUARDE: O SENHOR FAÇA RESPLANDECER O SEU ROSTO SOBRE TI, E TENHA MISERICÓRDIA DE TI: O SENHOR SOBRE TI LEVANTE O SEU ROSTO, E TE DE PAZ."

g. Os hospedes:

Tradicionalmente, era obrigatório para o hospede cumprimentar o noivo dizendo-lhe que ele escolheu uma noiva belíssima. Os rabinos ficavam perturbados, porque se essa descrição não podia ser aplicada, isto é se a noiva era feia mesmo, então os hospedes seriam culpados de testemunhas falsa violando a lei de Moisés. Tudo foi resolvido quando esses sábios concluíram que todas as noivas pudessem ser consideradas lindas e nos olhos do noivo dela sempre é a mais belíssima.

h. Divórcio: É raro entre os judeus. Eles dão muito ênfase sobre a unidade da família. Mesmo assim, conforme as leis judaicas se o divórcio for necessário será fácil obte-lo. De fato, o Talmud diz que pode divorciar-se de sua esposas se ela queimar o jantar. Mas continua dizendo que: "Se existe tão pouco entendimento e compreensão entre o casal que uma carne queimada leva tal importância então significa que já exista uma incompatibilidade básica. Na tradição judaica é considerada a maios má criar crianças num lar sem amor de que a necessidade das crianças enfrentarem o divórcio dos seus pais.

Chanukah Habbayth : (Dedicação da casa).

Isto é um costume, que era observar sempre, mas que hoje em dia está sendo observados por poucos porque hoje muitos já abandonaram. É uma cerimonia pela qual a vida judaica começa num lar. Os recém casados colocam a nezuzah na porta com orações e bênçãos pronunciadas.

A Nezuzah:

É um oramento colocado no batente da porta de acordo com Deuteronômio 11 : 20, "E escreve-as nos umbrais de tua casa e nas tuas portas".

As duas primeiras partes de "Shema" que é Deut. 6:4-6 e 11:13-20. São escritas em Hebraico num pedaço de pergaminho, que então é enrolado e colocado em um recipiente de metal ou de madeira. É posto numa posição inclinada ao lado direito da porta dos lares dos judeus. A palavra "Shaddai" ; está escrita no outro lado do pergaminho, e a letra "Sheen" em Hebraico apareça através da pequena abertura na Nezuzah. A Nezuzah simboliza a família judaica e a sua lealdade a lei de Deus. Judeus piedosos tocam os sua lábios com o seu dedo e depois a Nezuzah quando entrarem ou saírem da porta. A Nezuzah tornou-se um símbolo do lar judaico e um sinal da presença de Deus na casa. Infelizmente, a Nezuzah tem se degenerado num mero amuleto. Vejamos em Jeremias 31 33; Ezequiel 11:19-20 que desejo de Deus que o seu povo escrevesse as leis nos seus corações. Um mero amuleto fora da casa nunca pode agradá-lo.

Kashrus (Kosher: A Lei Dietética).

Essas leis são baseadas em Lev. 11. Mas as regras talmúdicas vão muito além do ensino do Torah. (Como sempre).

1. Os animais precisam ser matados de uma maneira muito especial.

Um especialista, chamado Shochet, que é um profissional, usa uma faca de certa, medida, bem afiada para evitar crueldades e para que o sangue possa drenar ou esgotar mais rápido. Porque conforme o ensino do A.T. não era lícito comer carne que ainda continha sangue. Então, é preciso saturar a carne em água por uma hora e depois por mais meia hora em água salgada.

2. Os dois jogos de louças.

Não é permitido comer produtos de leiteria até seis horas depois de comer a carne. Isto é baseado numa interpretação (errônea) de Êxodo23:19 ; 34:26 ; e Deut. 14:21. É necessário usar um jogo de louças para carne e outro para produtos de leiteria.

Lev. 11. Registra as verdadeiras leis dietéticas que Deus deu a nação de Israel naquela época. Os rabinos de hoje acre ditam que essas leis eram temporárias (com a exceção dos ortodoxos). Foram dadas porque a nação não tinha meios de refrigeração. Quer dizer foi por razões higiênicas.

Qual é nossa posição como crentes? Somos obrigados a observar Lev. 11? Pessoalmente, creio que os rabinos tem razão para dizer que essas leis foram temporárias. Porque, originalmente, a raça humana não recebeu ordem de recusar comidas.

Essa ordem não veio até depois e como lei foi dada aos Israelitas. Lembrem-se que faz parte da lei mosaica que também era temporária.

No certo sentido Deus estava fazendo lições ao seu povo, lições de objeto. Mostrou-lhes que deviam fazer diferença entre carne Kosher (limpa, pura) a carne treyfah (impura), ou melhor proibido. A carne kosher representa o que é bom, enquanto a carne treyfah representa o mal. Infelizmente muitos judeus ficam satisfeitos observando ao pé da letra adicionaram leis que Deus nunca lhes deu.

Vejamos o que o Senhor Jesus disse aos fariseus (Marcos 7: 1-23) Mostrando-lhes claramente que a impureza da vida não tem nada a ver com a comida. Pode comparar Atos 10:9-10; onde Deus exigiu (numa visão) que o Apóstolo Pedro matasse e comesse animais proibidos antigamente. Foi para ensiná-lo que ele não deveria ficar com preconceitos contra os gentios.

O Apostolo Paulo nos ensina em Rom. 14; a atitude que crentes devem manter neste sentimento. Devemos Ter tolerância com irmãos cujas convicções são diferentes do que as nossas. A convicção de Apostolo Paulo era: "Eu sei, e disso estou persuadido no Senhor Jesus, que nenhuma coisa é de si mesma impura, salvo para aquele que assim a considera; para esse é impura !" (Rom. 14:20; I Tim. 4:3-4).

Pois bem. Essa idéia do dois jogos de louças é uma invenção dos rabinos baseado na mal interpretação dos seguintes versos: Êxodo 23:19; 34:26; Deut. 14:21). Estes trechos: "Não cozerás o cabrito no leito da sua própria mãe."

Os rabinos concluíram que este versículo significa que carne e leite na mesma louça não seria lícito. É meio difícil compreender sua interpretação. Pra mim, o verso simplesmente está dizendo que eu não devo matar um cabrito que ainda está alimentando-se da sua mãe.

Que quer dizer não chegou a idade de ser sacrificado. Ou que seria melhor não cozerá o cabrito no leite da sua própria mãe. Ouviu falado também, que os pagã praticavam cozinhar um cabrito vivo elite da sua mãe ! E a advertência é que o povo Deus nunca pode imitar tal coisa. Seja qual for a interpretação certa, creio que a idéia de dois jogos de louça é longe dela!

Circuncisão (Brith Me?ilah).

O rito é no lar quando o infante chega ao seu oitavo dia de vida. A criança recebe o seu nome neste dia. A pequena operação é feita por um especialista chamado um Mo?el. A cerimônia com uma oração dele. Ele pede que o menino cresça física e mentalmente e para que ele passe a amar o Torah até Chupah (casamento). Também, que ele tenha uma vida cheia de boas obras (mitzavahas).

Pidyon Haben (Redenção do Filho eu Pidyon habechor: redenção do primogênito).

O ritual toma lugar no lar depois de 30 dias de vida. É baseada em (Êxodo 13:1-2 e 13-15 e Núm. 18:15-18). A cerimônia está realizada sempre no lar. O Pai tem que pagar um Cohen (descendente, suposto, de Arão). 5 dólares de prata. Judeus com sobrenomes ou Cohen ou Levi são isentos deste ritual. Biblicamente este costume serve para fazes-lhes lembrar da sua lembrar da sua redenção da sua redenção do Egito, quando Deus julgou os primogênito de Faraó e os egípcios. O rabino, Morris – Kertzer no seu livro: "What is a Jew" diz: "Conforme a legenda, o primogênito tinha a responsabilidade dos rituais religiosos da casa e da família. Mas depois de êxodo este serviço passou os descendentes de Arão e aos Levitas. Mas os outros primogênitos necessitavam ser redimidos pelo preço da redenção assim transferindo suas obrigado aos sacerdotes.

Bar-Mitzvah (Filho da Lei o Mandamento)

Estes costumes é observado pelos ortodoxos e conservadores. Quando um menino chegar ao seu décimo terceiro aniversário, é considerado qualificado a ser Bar-Mitzvah.

Desde então é considerado responsável perante a lei pelos seus atos e pelas suas obrigações religiosas.

Nos Sábado (antes ou depois) do seu aniversário, o menino é chamado na sinagoga ao altar para ler um trecho da Torah em hebraico .

Conforme a tradição, era necessário para o Bar-Mitzvah. dar um discurso Talmúdico. Hoje em dia, é apenas necessário afirmar sua intenção de seguir judaísmo e declarar sua intenção de estruturar Torah.

Depois da cerimônia na sinagoga, realiza-se uma festa em casa. O menino receba muitos presentes dos pais e dos parentes e amigos.

A origem deste costume é recente. Não passa 600 anos. Originou-se na Europa. Não é Bíblico.

Recentemente, nos últimos 20 anos os reformados e alguns conservadores introduziram o costume de Bar-Mitzvah. (Filha de mandamento) mas meninos e meninas fazem sua "confirmação", quando tiverem 15 ou 16 anos, em grupos.

Netilat Yadayim (Lavagem das mãos).

Judeus piedosos lavem suas mãos várias vezes durante um dia. Lavem-nas ao acordarem, antes e depois das refeições e antes das orações.

Responsabilidades dos Pais.

A Mulher (bath habbayith) é responsável para ascender as velas nos sábados e nas festas. Ela precisa orar e pronunciar bênçãos na hora. Ela é responsável também para manter a casa "kosher".

O pai, (Baal Habbayith) tem responsabilidade principalmente na sinagoga. Mas, também é responsável para a educação da sua família. Deut. 6:4.

Autor: Roberto J. Brennan
Fonte: www.PalavraPrudente.com.br

Cadu
Siga-me

Cadu

Nossos dias são cheios de desafios que, se aproveitados, transformam-se em oportunidades relevantes para obtermos resultados. Tecnólogo, Jurista, Teólogo e SEO do Multiplicador de Conhecimento.
Cadu
Siga-me
  • No RJ não conheço , mais editem cursos ótimos online e alguns gratuitos como do meu amigo Dr Cristofoni , da uma conferida lá http://boanovaeducacional.com/sobre-nos

  • Jussara

    Gostaria saber qual a sinagoga no Rio que dá curso do antigo testamento, qual o local. Tenho interesse em estudar porque acho muito difícil, conheço o novo testamento mas tenho dificuldade de ler, entender e interpretar o Antigo. Aguardo resposta, por favor, ficarei grata.

  • Obrigado , nos ajudará divulgando o mesmo. Desde já grato.

  • Paulo Nunes

    achei o site interressante. gostei muito