E-books: o poder do conhecimento em suas mãos.

Os e-books todos nós sabemos que vem ganhando cada vez mais espaço na vida de todos. Seja por causa dos baixos custos, seja por causa da comodidade, seja por causa do meio que vivemos tecnologicamente falando.

O que é um e-book?

Ebook (ou e-book) é uma abreviação do termo inglês eletronic book e significa livro em formato digital. Pode ser uma versão eletrônica de um livro que já foi impresso ou lançado apenas em formato digital.

Alguns dos formatos digitais mais populares são HTML, PDF (Portable Document Format), ePub (eletronic publication) e DjVu (pronucia-se déjà vu). Um ebook pode ser lido através do computador, PDA, iPad, Smartphone ou em dispositivo próprio para esse efeito à venda no mercado denominado eBook Reader.

O eBook Reader (eReader), como por exemplo, o Amazon Kindle, é um aparelho portátil criado especificamente para a leitura de livros digitais. Possui uma tecnologia de iluminação da tela diferente dos outros leitores digitais, possibilitando ao leitor uma sensação mais próxima da leitura do livro em papel.

É possível obter ebooks gratuitamente em bibliotecas públicas online ou em outros sites que disponibilizam livros digitais, como por exemplo o Google Books. Os ebooks também podem ser adquiridos em diversos sites de vendas online.

Especificamente, eBooks são arquivos com texto que podem vir em diversos formatos. Existe certa confusão ao chamar os eReaders, ou leitores eletrônicos portáteis, de eBook. Veja abaixo o que é preciso para ler um eBook, incluindo os vários aparelhos e formatos atuais.

Característica de um bom e-book.

 

1. Um bom ebook tem capa, título, autor, índice e texto.

Parece óbvio, não? Mas estamos tratando aqui de um conceito um pouco diferente do que seria ter capa, título, autor, índice e texto num livro de papel, que certamente todos ou quase todos os impressos têm. Façamos uma analogia: um arquivo mp3 de sua música preferida.

Quando você organiza sua música favorita dentre sua coleção no iTunes, existem campos para artista, álbum, nome e outros mais, certo? Esses dados estão contidos nas chamadas tags. E como eBooks possuem esses dados dentro de seu próprio conteúdo, ao contrário de uma música, pode-se ter a ilusão de que o computador consegue entender esses dados da mesma forma que você.

Ele não consegue! Como você espera que um computador ache qual o nome do autor de um livro em PDF dentre informações sobre edições, editora, dedicatória e tudo mais? Computadores são burros, e sem as benditas tags é impossível organizar livros digitais em um programa, como no iTunes organizamos e passamos nossas músicas para nossos iPods. Lojas digitais também dependem das tags para organizarem seus bancos de dados.

Já a presença de um bom índice te permite ir direto ao ponto. Você clica no capítulo e já está lendo o início dele, nada mais simples. Outro bom recurso é que seja sempre gravada a última página lida, mas isso depende mais do programa do que do eBook em si.

E o texto, claro. Todo eBook tem texto, certo? Errado, e não estamos falando de livros de fotografia. Você pode ler o texto de PDFs escaneados como imagens, mas para o computador eles nada mais são que isso: imagens. E você não pode mandar o computador buscar por uma palavra dentro de uma imagem.

Nem fazer anotações e marcações e voltar a elas com facilidade, ou ainda usar links dentro do conteúdo, como pular direto para notas de rodapé e de volta. Também não dá pra converter uma imagem para formatos populares de bons eBooks, como ePub. Essas e outras são possíveis apenas se o eBook de fato possui texto.

2. Um bom eBook não apenas tem texto, mas este é redimensionável.

Onde um eBook que possui os itens anteriores faz mais que sua obrigação, ter texto redimensionável já coloca-o entre os que fazem um esforcinho para serem bons. Redimensionamento (ou reflow) de texto nada mais é que reorganizar o tamanho e a quantidade do texto em cada página, de acordo com o tamanho da tela em que se está lendo.

Na verdade, esse quesito é um pouco irrelevante para não-PDFs, já que qualquer txt, doc, ePub – exceto os de layout fixo da Apple – ou html é redimensionável por natureza. Mas como PDFs imperam quando se fala em eBooks, é um ponto validíssimo de ser discutido.

Ler no computador não põe à mostra os defeitos da falta de redimensionamento presente em inúmeros PDFs, já que os programas que leem PDF no computador não tentam refazer as páginas. Se sua tela for menor que o tradicional tamanho A4, ou você diminui o zoom ou vai descendo a barra conforme lê a página. Nada mais justo. Mas em celulares e aparelhos portáteis dedicados, os eReaders, é comum que o número de linhas da página seja alterado, de forma a você visualizar toda uma página em sua tela.

Quando um PDF não permite tal recurso, bom, fica impossível ler nesses aparelhos. Na verdade, aqui caímos em uma discussão bem mais avançada, pois o formato PDF foi criado para que um documento fosse digitalizado ou criado num tamanho de página certo e nunca alterado, e no entanto esse tamanho pode ser alterado para leitura em telas de aparelhos portáteis. Mas essa questão fica pra outra, por hora sigamos em frente.

3. Um bom eBook pode ser lido ou convertido para leitura em qualquer celular ou eReader.

Se é um ePub, já é um forte candidato a boníssimo eBook: não só o ePub é compatível com um número crescente de aparelhos, mas é baseado em um formato internacional e livre que facilita sua conversão para tantos outros. Fica difícil estar errado com um ePub na mão e algum conhecimento sobre conversão na cabeça.

Mas alto lá! Ainda que seu formato possa, em tese, ser convertido para um outro, nenhuma conversão poderá ser feita caso o arquivo seja “protegido”. Entramos então na última parte deste artigo.

4. Um bom eBook não tem proteção contra o consumidor: é seu para emprestar e converter para outros formatos.

Bom, este é um argumento questionável, e eu sou no mínimo suspeito pra falar disso, mas acho que todo bom eBook deve ser seu para guardar por tempo indeterminado. Nada de só poder ler o eBook em seis aparelhos diferentes. Nada de só poder usar o eBook no formato comprado. E nada de perder seu caso quem te vendeu vá à falência. Estes são os temidos riscos de se comprar um eBook protegido, com o chamado DRM (ou Digital Rights Management). Infelizmente, hoje as grandes editoras e vendedoras de livros digitais, como a Amazon, impõem essa ineficiente arma contra a pirataria.

E acabam por só prejudicar quem paga, já que pode-se simplesmente fazer o download do arquivo ilegalmente, sem pagar nada e sem a proteção presente no livro comprado!

Antes de fechar, um último comentário sobre o PDF. Tem gente que desconsidera que qualquer PDF possa ser chamado de eBook, mas não é bem assim, e mesmo vários dos recursos de um bom eBook citados neste artigo podem estar presentes em PDFs, como tags e o redimensionamento de texto. Mas a realidade é que a esmagadora maioria dos PDFs que circulam a web, legal ou ilegalmente, são péssimos exemplos do que um eBook pode ser. Péssimos não, lastimáveis. E se você lê apenas na tela do seu PC, tudo bem, mas qualquer dia experimente um desses arquivos em um desses aparelhos portáteis, pra ver o pesadelo que vira a leitura de um querido livro. Salve o eBook! Mas só os bons.

Este texto é uma adaptação do texto original do Bernardo Szpilman, publicado originalmente no blog da Editora Plus em 23/09/2009.

 

Gostaria de indicar a vocês bons livros na área Teológica (Bíblica) – CLIQUE AQUI.

 

Quer receber estudos Vips primeiro que todo mundo? Preencha o campo abaixo e seja um Multiplicador de Conhecimento.

 

Cadu
Siga-me

Cadu

Nossos dias são cheios de desafios que, se aproveitados, transformam-se em oportunidades relevantes para obtermos resultados. Tecnólogo, Jurista, Teólogo e SEO do Multiplicador de Conhecimento.
Cadu
Siga-me
2 Compart.
Compartilhar2
Twittar
Compartilhar
+1