O que realmente importa

drawing_pen Não importa o que eu diga, creia e faça; sem amor, estou arruinado.1Coríntios 13.3b; Amor significa viver da maneira que Deus nos mandou viver. Como vocês ouviram desde o início, o seu mandamento é este: Viva uma vida de amor.2 João 1.6;

Viver consiste em amar.

Uma vez que Deus é amor, a lição mais importante que ele quer que você aprenda na terra é como amar. É quando amamos que so­mos mais parecidos com ele, de modo que o amor é o fundamento de todos os mandamentos que ele nos deu: Toda a lei pode ser resumi­da neste único mandamento: “Ame aos outros como você ama a si mesmo”.

Aprender a amar altruisticamente não é tarefa fácil; vai contra a nossa natureza egoísta. É por isso que temos toda uma vida para aprender. É lógico que Deus quer que amemos a todos, mas ele se interessa especialmente por que aprendamos a amar as outras pes­soas que fazem parte de sua família. Como já vimos, esse é o segun­do propósito para nossa vida. Pedro nos diz: Mostrem um amor especial pelo povo de Deus. Paulo expressa o mesmo sentimento: Quando tivermos oportunidade de ajudar a alguém, nós devemos fazê-lo. Mas devemos dar uma atenção especial àqueles que são da família dos crentes.

Por que Deus insiste em que devemos dar amor e atenção espe­cial aos outros crentes? Por que eles devem ser priorizados? Porque Deus quer que sua família seja conhecida pelo seu amor, mais do que por qualquer outra coisa. Jesus disse que nosso amor uns pelos outros — e não nossas crenças doutrinárias — é o nosso maior teste­munho perante o mundo. Ele disse: Esse profundo amor que vocês tiverem uns pelos outros provará ao mundo que vocês são meus discípulos.

No céu, desfrutaremos da família de Deus para sempre, mas pri­meiro temos algum trabalho duro para fazer aqui na terra, a fim de nos prepararmos para uma eternidade de amor. Deus nos educa dando “responsabilidades familiares”, e a principal é a prática de amarmos uns aos outros.

É da vontade de Deus que você tenha uma associação íntima e constante com os outros crentes, para que possa desenvolver a habili­dade de amar. O amor não pode ser aprendido solitariamente. Você tem de ter pessoas por perto — pessoas irritantes, imperfeitas e frus­trantes. Por meio dessa união, aprendemos três verdades importantes.

A melhor utilidade que se pode dar à vida é amar

Amar deve ser sua principal prioridade, seu objetivo primordial e sua maior ambição. Amar não é uma parte boa de sua vida; é a parte mais importante. A Bíblia diz: Que o amor seja o maior alvo de vocês.

Não basta dizer “Uma coisa que quero na vida é ser amoroso”, como se isso estivesse na sua lista dos dez principais objetivos. Seus relacionamentos devem ter prioridade acima de todo o resto. Por quê?

A vida sem amor não tem realmente nenhum valor. Paulo le­vanta a questão: Não importa o que eu diga, creia e faça; sem amor, estou arruinado.

Freqüentemente, agimos como se os relacionamentos devessem ser espremidos em nossas agendas. Conversamos sobre arrumar um tempo para nossos filhos ou criar tempo para as pessoas que fazem parte de nossa vida. Isso dá a impressão de que os relacionamentos são apenas uma parte de nossa vida, juntamente com muitas outras tarefas. Mas Deus diz que a vida se constitui de relacionamentos.

Quatro dos Dez Mandamentos versam sobre nosso relacionamen­to com Deus, enquanto os outros seis falam sobre nosso relaciona­mento com as pessoas. Mas todos os dez são sobre relacionamentos! Mais tarde, Jesus resumiu o que mais importa para Deus em duas instruções: amar a Deus e amar as pessoas. Ele disse: Ame o Senhor, o seu Deus de todo o seu coração […] Este é o pri­meiro e maior mandamento. E o segundo é semelhante a ele: Ame o seu próximo como a si mesmo. Destes dois mandamentos dependem toda a Lei e os Profetas. Após aprender a amar a Deus (adorar), aprender a amar os outros é o segundo propósito de sua vida.

Os relacionamentos, e não as realizações ou a compra de bens, são o que mais importa na vida. Então, por que permitimos que nossos relacionamentos fiquem com a pior parte? Quando nossa agenda fica sobrecarregada, começamos a tratar de forma superficial os nosso relacionamentos, diminuindo o tempo, a atenção e a ener­gia que os relacionamentos de amor exigem. O que é mais importan­te para Deus é substituído pelo que é mais urgente.

As ocupações são um grande inimigo dos relacionamentos. Tornamo-nos preocupados com ganhar a vida, fazer o nosso trabalho, pagar as contas e cumprir metas, como se essas tarefas fossem a razão de nossa vida. Elas não são! O objetivo da vida é aprender a amar; tanto a Deus quanto às pessoas. Vida menos amor é igual a zero.

O amor é para sempre. Outra razão pela qual Deus nos manda fazer do amor nossa principal prioridade é que ele é eterno. Assim, permanecem agora estes três: a fé, a esperança e o amor. O maior deles, porém, é o amor.

O amor deixa um legado. A forma de você tratar outras pessoas, e não sua riqueza ou suas façanhas, é a influência mais duradoura que se pode deixar na terra. Como disse madre Tereza: “Não é o que você faz, mas quanto amor você dedica no que faz que realmente importa”. O amor é o segredo de uma herança duradoura.

Estive ao lado de muitas pessoas no leito de morte, quando elas se encontram no limite da eternidade, e jamais ouvi nenhuma delas dizer: “Tragam os meus diplomas! Eu quero olhar para eles mais uma vez. Mostre-me meus títulos, minhas medalhas, aquele relógio de ouro que recebi”. Quando a vida na terra está no fim, as pessoas não se cercam de objetos. Querem em torno de si pessoas — pessoas que amam e com as quais mantêm relacionamentos.

Em nossos momentos finais, todos percebemos que são os relacio­namentos que constituem a vida. Ser sábio é aprender essa verdade o mais rapidamente possível. Não espere até estar no leito de morte para compreender que nada é mais importante.

Seremos avaliados quanto ao nosso amor. A terceira razão para tornar o aprendizado do amor o objetivo de sua vida é que seremos avaliados com base nele na eternidade. Uma das formas pelas quais Deus mede nossa maturidade es­piritual é pela qualidade de nossos relacio­namentos. No céu, Deus não dirá “Fale-me de sua carreira, de sua conta bancária e de seus passatempos”. Em vez disso, vai rever como você tratou as outras pessoas, especialmente as necessitadas. Jesus disse que a forma de amá-lo é amar a família dele e cuidar de suas necessidades práticas: Digo-lhes a verdade: O que vocês fizeram a algum dos meus menores irmãos, a mim o fizeram.

Quando partir para a eternidade, você deixará todo o resto para trás. Tudo que levará será o caráter. É por isso que a Bíblia diz: Porque em Cristo Jesus nem circuncisão nem incircuncisão têm efei­to algum, mas sim a fé que atua pelo amor.

Tendo conhecimento disso, sugiro que, ao se levantar pela ma­nhã, você se ajoelhe ao lado da cama, ou se sente na beirada, e ore desta forma: “Deus, conseguindo ou não realizar qualquer outra coisa no dia de hoje, quero ter certeza de que terei tempo para amá-lo e para amar as outras pessoas — porque é nisso que a vida consiste. Não quero desper­diçar este dia”. Por que Deus deveria lhe dar outro dia, se você vai desperdiçá-lo?

A melhor expressão do amor é o tempo

A importância das coisas pode ser medida pelo tempo que estamos dispostos a investir. Quanto maior o tempo dedicado a alguma coi­sa, mais você demonstra a importância e o valor que ela tem para você. Se você quiser conhecer as prioridades de uma pessoa, observe a forma como ela utiliza o tempo.

O tempo é sua dádiva mais importante, pois você só recebeu uma quantidade fixa dele. Você pode fazer mais dinheiro, mas não pode fazer mais tempo. Quando você dedica seu tempo a alguém, você está dedicando uma porção de sua vida que jamais irá recuperar. O seu tempo é a sua vida. É por isso que o maior presente que você pode dar a alguém é o seu tempo.

Não é o bastante dizer que relacionamentos são importantes; nós devemos provar essa posição investindo tempo neles. Palavras iso­ladas não detêm nenhum valor. Meus filhinhos, o nosso amor não deve ser somente de palavras e de conversa. Deve ser um amor ver­dadeiro, que se mostra por meio de ações. Relacionamentos tomam tempo e esforço, e a melhor maneira de soletrar amor é t-e-m-p-o.

A essência do amor não é o que pensamos, fazemos ou proporci­onamos aos outros, mas quanto damos de nós mesmos. Os homens, em especial, com freqüência não compreendem isso. Muitos me di­zem: “Não entendo minha mulher e meus filhos. Eu proporciono tudo que eles precisam. O que mais eles podem querer?”. Eles querem você! Seus olhos, seus ouvidos, seu tempo, sua atenção, sua presen­ça, seu interesse — seu tempo. Nada pode substituir isso.

O mais desejado presente de amor não são diamantes, rosas ou chocolate; é a atenção concentrada. O amor se concentra tão atenta­mente na outra pessoa que por um momento você se esquece de si. A atenção diz: “Eu valorizo você o bastante para lhe dar meu mais precioso bem — meu tempo”. Sempre que você dá seu tempo, está fazendo um sacrifício, e o sacrifício é a essência do amor. Jesus foi um exemplo disso: Sejam cheios de amor pelos outros, seguindo o exemplo de Cristo, que amou vo­cês e se entregou a Deus como sacrifício a fim de tirar os seus pecados.

Você pode dar sem amar, mas não pode amar sem dar. Porque Deus tanto amou o mundo que deu… Amar significa abrir mão — ceder minhas preferênci­as, conforto, objetivos, segurança, dinheiro, energia ou tempo para o benefício de outra pessoa.

O melhor momento para amar é agora

Algumas vezes, procrastinação é uma resposta válida para uma ta­refa trivial. Mas, como o amor é o que mais importa, ele tem priorida­de máxima. A Bíblia enfatiza isso repetidamente. Ela diz: Portanto, enquanto temos oportunidade, façamos o bem a todos. Aproveite cada chance que tiver para fazer o bem. Sempre que puder, ajude os necessitados. Não diga ao seu vizinho que espere até amanhã, se você pode ajudá-lo hoje.

Por que agora é o melhor momento para expressar amor? Porque você não sabe até quando terá oportunidade. As circunstâncias mu­dam, as pessoas morrem, os filhos crescem. Você não tem nenhuma garantia do amanhã. Se você quiser expressar seu amor, é melhor que o faça agora.

Tendo consciência de que algum dia ficará perante Deus, eis algumas questões que você precisa levar em consideração. Como você explicará aqueles momentos em que projetos e coisas foram mais importantes para você do que as pessoas? Com quem você precisa começar a passar mais tempo? O que você precisa eliminar de sua agenda para tornar isso possível? Que sacrifícios você precisa fazer?

A melhor utilidade que pode se dar à vida é amar. A melhor expressão do amor é o tempo. O melhor momento para amar é agora.

Trecho do Livro Uma vida com propósitos de Rick Warren

Cadu
Siga-me

Cadu

Nossos dias são cheios de desafios que, se aproveitados, transformam-se em oportunidades relevantes para obtermos resultados. Tecnólogo, Jurista, Teólogo e SEO do Multiplicador de Conhecimento.
Cadu
Siga-me
  • Concordo

  • Ola Pr Cadu,
    um dia destes li uma frase que gostei muito: “Dizer “EU TE AMO” leva apenas um instante, mostrar o quanto se AMA leva a vida toda” – as pessoas de um modo geral tem dificuldades de mostrar amor; e se não ama ao próximo que esta ao lado, dificilmente amará a Deus. “Ele nos deu este mandamento: Quem ama a Deus, ame também seu irmão”. I João 4:21

    abraços 🙂

0 Compart.
Compartilhar
Twittar
Compartilhar
+1